terça-feira, 2 de março de 2010

Volta às aulas
















Enfim meus dias de puro descanso, de "nada" para fazer, de dormir tarde e acordar tarde, de assistir a vários filmes e não me preocupar com a prova da semana que vem acabaram.
As aulas na Universidade estão de volta. Novos professores, novas disciplinas, novos livros, novos planos e projetos, novos calouros, novas idas e vindas ao outro lado da cidade.
O VI Semestre começa para mim e estou experimentando o gostinho de passar da metade do curso e ver o estágio e a formatura se aproximando. Ai, como o tempo passa depressa! Acompanhando os trotes aplicados aos novos universitários é quase inevitável a lembrança de 3 anos atrás. Rostos pintados, roupas sujas, um andar em fileirinhas e um olhar atento a descobrir cada detalhe daquele novo mundo.
Agora estou aqui, do outro lado, observando esta cena que se repete a cada semestre. É divertido, é válido para se guardar na memória, mas tudo tem limite.
Reencontro meus colegas de sala e é interessante ver que algumas coisas não mudam. Os abraços de chegada, as brincadeiras, as histórias de férias, as perspectivas e planos para o novo semestre. Algumas outras coisas, porém, mudam. Às vezes uma surpresa já esperada, às vezes não.
A rotina recomeça e com ela a esperança de que "esse semestre vai ser melhor, vou estudar mais, entrar num projeto, produzir mais...", e a fé de que tudo isso não fique só no papel.
É, que venha o semestre, na bênção, misericórdia e graça do Senhor.

Viagem de férias


















Sol reluzente, coqueiros carregados, uma piscina na área, um rio de águas ricas em minerais sob uma ponte , uma rede na varanda e um mar no quintal. É aqui onde estou passando uns dias de férias. Viagem "tardia", devo dizer. As pessoas já estão em suas casas e de volta aos seus ofícios, e minhas aulas, inclusive, já retornaram, mas nós estamos aqui, curtindo a maresia desta linda Costa.
Não há época melhor para se fazer uma viagem quando o objetivo é descansar. O Hotel é só nosso e nos primeiros dias me sentia a dona da praia. Pés descalços, um bom protetor solar e uma boa caminhada por aquelas areias bronzeadas.
A imensidão do mar é encantadora e fazia tempo não apreciava esta maravilha da criação Divina. É tempo de lua cheia, e sentadas na beira da praia pudemos apreciar aquele imenso farol formando uma trilha no mar e iluminando docemente as nossas agradáveis conversas.
Resolvi dar uma caminhada pela praia, sozinha, e para a minha surpresa encontrei algumas pessoas ali. -Ah, hoje é sábado. Fui andar, sem um destino previsto, determinado, até onde desse vontade. A areia molhada e a água cobrindo os pés trazem tão boa sensação.
Deparei-me com três simpáticas e sorridentes senhoras. Amigas, parentes, não sei. Mas pareciam bem felizes ali, sentadas na areia, na chegada do mar, se divertindo com o findar das ondas que já não estavam tão agitadas.
-Bom dia! Três sorrisos me foram resposta.
Continuei a caminhar, observando, cantando e voltei para o Hotel com vontade de escrever à beira da piscina enquanto minha amiga estudava e minha mãe fazia palavras cruzadas.
No outro dia fomos explorar a Costa e caminhamos bastante. Conhecemos um pouco da história daquele lugar e das pessoas que ali vivem. No mar pudemos ver um navio que ficou encalhado há 55 anos e achei aquilo o máximo, acho que aguçou minha natureza exploradora! Mais um pouco e encontramos algo então inédito para mim. O encontro do rio com o mar. Que lindo! Aquela mistura do doce com o salgado é realmente deslumbrante. E aquelas águas geladas nos fazem não querer mais sair.
O período de estadia ali acabou e voltei para casa, para a rotina, satisfeita, contente e muito grata por todas as bênçãos que o Senhor nos proporcionou durante todos estes dias.